Ícone de chat

Publicador de Conteúdos e Mídias

Notícias CDHU

Voltar Listagem Notícias
Crédito: Divulgação CDHU/Habitação

13/11/2021 Sábado 11:14hs

Habitação SP vai recuperar 280 moradias em Sorocaba

A Secretaria de Estado da Habitação vai iniciar a implantação do Programa Viver Melhor, em Sorocaba, para recuperar de cerca de 280 moradias precárias de três núcleos habitacionais, localizados na Avenida Ulisses Guimarães, no Parque das Laranjeiras. O anúncio foi feito pelo vice-governador Rodrigo Garcia, nesta sexta-feira, 12 de novembro, durante o evento regional do programa Retoma SP. O secretário de Estado da Habitação, Flavio Amary, e o presidente da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU), Silvio Vasconcellos, participaram da solenidade.

O secretário Flavio Amary explicou que o Viver Melhor transforma as casas precárias e dá melhores condições de habitabilidade às famílias. "É um programa que faz a melhoria habitacional. O programa começou pela Região Metropolitana de São Paulo, lá em Heliópolis, São Bernardo do Campo e Santo André. E hoje, em Sorocaba, o governo está dando autorização para que possamos dar início como a primeira cidade do interior a receber o Viver Melhor", disse Flavio Amary.
Com recursos da agência de fomento Casa Paulista e execução da CDHU, o Viver Melhor tem por objetivo aprimorar as condições de habitabilidade, salubridade, acessibilidade para famílias com renda de até cinco salários mínimos que residam em domicílios considerados inadequados em assentamentos precários. Cabe ainda ao programa fazer a regularização fundiária dos imóveis passíveis de legalização, garantindo o título de propriedade a seus ocupantes.

Nos núcleos Parque das Laranjeiras I, II e III, serão investidos R﹩ 4,2 milhões para solucionar problemas como cômodos sem ventilação, presença de umidade, paredes desgastadas, ausência ou insuficiência de equipamentos hidráulicos e instalações elétricas, precariedade na conexão com redes de abastecimento de água e coleta de esgoto, acessos precários ao domicílio e vedações insuficientes. Os tipos de serviços a serem executados dentro e fora das residências pelas equipes do programa, sem custo para as famílias, abrangem coberturas, alvenaria, revestimento, piso, pintura, instalações elétricas e hidráulicas, instalação de esquadrias, melhorias em acessos e áreas comuns do núcleo habitacional, reparos de drenagem, entre outros. As fachadas das casas também serão recuperadas e ganharão pintura projetada para revitalizar a paisagem local.

O trabalho a ser desenvolvido pela CDHU consiste em três etapas: vistoria no local para avaliar a moradia e suas necessidades, coleta da assinatura do morador no termo de adesão e execução das obras de melhoria.

Lançado em julho, o programa já está promovendo a recuperação de 1 mil unidades habitacionais em Heliópolis, zona sul da Capital, 500 casas no núcleo DER, em São Bernardo do Campo, próximo ao km 19 da Via Anchieta, e 400 imóveis no Jardim Santo André, em Santo André. As áreas selecionadas estão em processo ou são passíveis de regularização fundiária nas regiões metropolitanas do Estado e no Vale do Ribeira. Estão excluídos os locais de risco e de proteção ambiental. A meta para o biênio 2021-2022 é beneficiar nesta primeira etapa 4,5 mil domicílios, com investimento de R﹩ 90 milhões.

Fonte: Superintendência de Comunicação Social
Crédito: Divulgação CDHU/Habitação
Crédito: Divulgação CDHU/Habitação

Acesse também

Acesse também

Dispositivos Móveis

Baixe gratuitamente o App da CDHU nas lojas Google Play ou Apple Store

Entrar