Ícone de chat

Publicador de Conteúdos e Mídias

Notícias CDHU

Voltar Listagem Notícias
Crédito: Divulgação CDHU/Habitação

24/05/2021 Segunda-feira 15:00hs

Governo do Estado inicia construção de 155 novas moradias na região de Bauru

O vice-governador Rodrigo Garcia autorizou, neste sábado, 22 de maio, a assinatura das ordens de início de serviço para a construção de condomínio do Programa Vida Longa, com 28 unidades, em Duartina, e para urbanização de 127 lotes de empreendimentos do Programa Nossa Casa - CDHU, em Borebi e Itapuí. A cerimônia ocorreu no terreno onde ser edificado o residencial Vila Longa e contou com participação do secretário de Estado da Habitação, Flavio Amary.

"O Governo do Estado investe em obras que beneficiem diretamente às famílias de baixa renda e que sejam geradoras de empregos nas localidades. É importante que investimentos públicos ajudem neste processo de retomada econômica", disse Rodrigo Garcia.

O secretário Flavio Amary destacou a importância do programa de atendimento a idosos em vulnerabilidade social. "Estou muito de feliz de poder, neste dia tão especial, iniciar as obras do Programa Vida Longa, projeto que foi reinventado, modernizado e aperfeiçoado a partir do antigo Vila Dignidade. Aqui em Duartina serão 28 casas mobiliadas, com infraestrutura moderna e equipamentos de lazer para uso e compartilhamento dessa população que mais precisa. O Projeto foi concebido e modernizado pela CDHU que trabalhou muito para que pudéssemos estar hoje, iniciando esta obra".

Lançado em outubro de 2019, o Programa Vida Longa integra a política habitacional do Estado e tem o caráter protetivo. Os imóveis são destinados a idosos que vivem sozinhos, em situação de vulnerabilidade social. Trata-se de uma parceria entre as Secretarias de Estado da Habitação e de Desenvolvimento Social, Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU) e prefeituras.

Em Duartina, o valor da ordem de serviço é de R﹩ 3.150.356,24 e a empresa contratada para executar o empreendimento tem prazo de 12 meses para concluir a obra. Os imóveis são projetados segundo parâmetros de acessibilidade do Desenho Universal, que estabelecem um conceito arquitetônico adaptável para permitir facilidade no uso da moradia por qualquer indivíduo com dificuldade de locomoção, temporária ou permanente.

O conjunto habitacional terá 28 imóveis de 33 m² de área privativa, distribuídos em cozinha, sala de estar e dormitório conjugados, banheiro e área de serviço.

Itens de segurança e acessibilidade constam no projeto, como barras de apoio, pias e louças sanitárias em altura adequada, portas e corredores mais largos, interruptores em quantidade e altura ideais, alarmes de emergência sonoros e luminosos, piso antiderrapante, entre outros. Recursos de acessibilidade também serão instalados nas áreas comuns para facilitar a locomoção e dar segurança e conforto ao idoso.

O Programa Vida Longa traz um conceito que busca agregar expressivo valor a todo o processo de socialização dos moradores. Por isso, os residenciais foram projetados para ter espaços comuns de convivência e lazer, com salão com refeitório e área para assistir televisão, área externa com churrasqueira e forno à lenha, aparelhos para atividade física, bancos de jardim, horta elevada e paisagismo.

Pessoas com 60 anos ou mais, preferencialmente sós e com vínculos familiares fragilizados, são o público alvo do programa. Os idosos devem ter renda de até dois salários mínimos, residir há pelo menos dois anos no município, além de terem autonomia para realizar tarefas diárias.

Nossa Casa - CDHU - Para a cidade de Borebi foi assinada a ordem de serviço do novo formato do Programa Nossa Casa - CDHU. O valor é de R﹩ 1.741.093,57, destinados à urbanização dos lotes do empreendimento Borebi D2, com 58 casas, localizado na Rua Sete de Setembro.

No município de Itapuí, foi iniciada a urbanização de 69 lotes do conjunto habitacional Itapuí C, na Rua José Antônio, 299-201, também no novo formato do programa. O valor da ordem de serviço é de R﹩ 2.227.805,26. O prazo contratual dessas obras é de sete meses. As casas terão dois quartos, sala, cozinha, banheiro, área de serviço e área útil de 47,87 m2.

Essas contrações fazem parte do esforço da Companhia para agilizar a produção de empreendimentos no Estado pelo Programa Nossa Casa - CDHU. A previsão anterior era de que a Caixa Econômica Federal seria responsável pela construção e pelo financiamento das casas. No novo formato, a CDHU está assumindo a construção de 6.600 unidades, que será executada em duas etapas.

Na primeira fase, será realizada a urbanização dos lotes com pavimentação e implantação de água, esgoto e outros itens. Na sequência será feita a edificação das unidades habitacionais. Em Borebi e Itapuí, as licitações dos loteamentos já foram concluídas e as obras serão iniciadas agora.

Os sorteios para a seleção das famílias já foram realizados e serão mantidos para este novo formato. O financiamento dos imóveis seguirá os critérios da CDHU e as novas diretrizes da Política Habitacional do Estado, que preveem juros zero para famílias com renda mensal de até cinco salários mínimos.

Fonte: Superintendência de Comunicação Social
 

Crédito: Divulgação CDHU/Habitação
Crédito: Divulgação CDHU/Habitação
Crédito: Divulgação CDHU/Habitação
Crédito: Divulgação CDHU/Habitação
Crédito: Divulgação CDHU/Habitação
Crédito: Divulgação CDHU/Habitação

Acesse também

Acesse também

Dispositivos Móveis

Baixe gratuitamente o App da CDHU nas lojas Google Play ou Apple Store

Entrar